Infelizmente, são coisas da vida.

Oi! Sumi daqui e ainda acho que não vou ter tempo pra postar sempre, mas parei pra respirar um pouco e vim escrever.

Os últimos 10 dias acho que até hoje foram os mais hard da minha vida. Sempre tive uma vida relativamente bem tranquila.. alguns problemas, mas nada que não pudesse ser contornado.

Não estou bem. Estou com problemas maiores do que os que eu já tive, mas tenho a plena consciência de que tem gente em alguma situação bem pior do que a minha.

Na quarta-feira (4) meu avô passou mal e tivemos que levá-lo ao hospital. Minha mãe passou a noite lá com ele, eu fiquei em casa, mas extremamente tensa com a situação e não consegui dormir. Os médicos os liberam na quinta, mas no sábado de manhã tivemos que o levar de SAMU de volta ao hospital. Estava com muita febre, tremendo, suando, delirando.. e como ele já tem 83 anos e anda com dificuldade, nesse estado não conseguimos o colocar dentro de um táxi. Mais tensão! Ele teve que ser internado, e só pode ficar um acompanhante por vez. Tô desde então revezando as visitas com minha mãe e meus tios. É horrível passar o dia/noite toda sentada em uma cadeira de ferro, sem nada pra fazer, cercado de gente doente e uma delas sendo uma das pessoas que você mais ama na vida. Mesmo quando eu não estava lá, ficava tão tensa quanto, pois queria sempre saber como ele estava.

No dia que ele foi internado, já foi diagnosticado com pneumonia e já começou a ser medicado. Tem que ficar no mínimo 10 dias tomando o remédio e graças a Deus ele está respondendo bem a medicação. Ontem, ele estava reclamando de dores abdominais, achamos que era dor por conta da tosse, mas fez um ultrasson descobrimos que está também com pedras na vesícula. Pela idade que ele tem, não pode fazer a cirurgia pois seria um procedimento muito arriscado. O jeito é tomar remédios pra cessar a dor.

Na medida do possível, ele está bem. A previsão é que receba a alta na terça e aí sim poderei ficar mais calma. Fiquei e estou bem nervosa. Sem dormir direito, preocupada e só pensando nisso. E ainda tinha que conciliar com as preocupações do trabalho e da faculdade.

Nunca perdi ninguém. Parentes que morrerram foram tios e tias avós que não tinha muita convivência, então nem doeu tanto. Mas meu avô, que convivo com ele desde que nasci, tenho um carinho sem tamanho por ele, só de cogitar a possibilidade de perdê-lo, minha cabeça já pirou! Eu sei que uma hora ou outra isso vai acontecer e com certeza vai ser muito difícil pra mim. O maior medo da minha vida é ver a morte das pessoas que eu amo. Mas infelizmente, uma das coisas da vida é a morte.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s